O Fantástico Mundo de Baumgarten

Uma incrível perda de tempo narrando as experiências (uii!) e pensamentos de alguém que vê o mundo em outras cores. P.S.: "outras cores" é uma metáfora, não sou de maneira alguma estragado dos olhos. Se você pensou isso, a culpa é do português, essa maldita lingua que permite dupla conotação. Se mesmo assim você não entendeu, é uma pessoa burra demais pra merecer minha atenção e eu provavelmente só lhe trato bem por interesse ou pena. Pare de chorar e viva com isso!

Minha foto
Nome:
Local: Rio Grande, RS, Brazil

Todas as religiões convergem em um ponto: é impossível descrever Deus de maneira coerente. Partindo deste princípio universal, me resguardo o direito de não falar muito sobre mim. Resumidamente: sou autoritário, temperamental, tenho rompantes de anti-socialidade, gosto de ficar sozinho e busco desesperadamente na vida a eternidade. Buenas, é isso, seu fuxiqueiro curioso dos infernos!

9.3.07

Powerless

Eu queria ter superpoderes. Por mais infantil ou fantasioso que isso possa parecer, duvido que cada um de vocês não tenha sonhado em fazer algo fantástico e grandioso, nem que fosse por uma lampejo de tempo. Não vou me dar o trabalho de perguntar pra ninguém, porque mesmo que eu seja o único com esse desejo ele ainda assim se mantém: eu, sinceramente, queria ter superpoderes.
Maluquisse ou não, é essa fantasia (ou proto-debilidade mental, vai saber...) que me permite seguir na linha. Eu não bebo. Eu não fumo. Eu praticamente não faço nada politicamente incorreto. É bem possível que todos os meus problemas, todas as minhas aflições sejam descarregadas nessa infindável imaginação que me cabe, neste fantástico Mundo de Baumgarten. Nele e em um (ou vários) pratos de comida.
Fato é que eu queria mesmo ter superpoderes, ao menos para poder combater meus medos e meus inimigos, sejam eles declarados ou percebidos. Odeio o calor, não suporto anos ímpares, temo raios e trovões, detesto a idéia de mortalidade, mas, no momento, abomino e me entristeço enormemente com minhas limitações, minhas impossibilidades. Contra elas, ahhhh quem dera, eu queria poder ter superpoderes, pelo menos para descarregar um pouco de justiça e clareza sobre as pessoas que não me permitem chegar onde eu, inevitavelmente, irei um dia estar. Ok... justiça, clareza e uma boa surra...
Bom... não tenho superpoderes, pelo menos ainda não. A esperança de que um dia poderei conseguí-los me faz continuar na linha, me faz continuar sorrindo, sendo feliz apesar de um segundo ou outro de lágrima. Celebrem, meus inimigos, eu não tenho superpoderes... pelo menos nesse maldito e violento "mundo real".

** Sir Baumgarten ainda não sabe como se transformar em Capitão Baumgarten. Ainda...

1 Comments:

Blogger Flor said...

Eu vou voltar aqui, com calma para COMENTAR.
No momento, só quero dizer que vim, vi e venci. Ops! Quer dizer, que vim e li. ;)
Volto amanhã.
Quem sabe, nesse meio tempo, vc já leu o meu blog, né?

10:35 PM  

Postar um comentário

<< Home