O Fantástico Mundo de Baumgarten

Uma incrível perda de tempo narrando as experiências (uii!) e pensamentos de alguém que vê o mundo em outras cores. P.S.: "outras cores" é uma metáfora, não sou de maneira alguma estragado dos olhos. Se você pensou isso, a culpa é do português, essa maldita lingua que permite dupla conotação. Se mesmo assim você não entendeu, é uma pessoa burra demais pra merecer minha atenção e eu provavelmente só lhe trato bem por interesse ou pena. Pare de chorar e viva com isso!

Minha foto
Nome:
Local: Rio Grande, RS, Brazil

Todas as religiões convergem em um ponto: é impossível descrever Deus de maneira coerente. Partindo deste princípio universal, me resguardo o direito de não falar muito sobre mim. Resumidamente: sou autoritário, temperamental, tenho rompantes de anti-socialidade, gosto de ficar sozinho e busco desesperadamente na vida a eternidade. Buenas, é isso, seu fuxiqueiro curioso dos infernos!

3.9.06

"Mulheres que ferraram a história II - Helena de Tróia"

Dizem que não se pode agradar gregos e troianos. Na dúvida, Helena deu para os dois...
Mulher de corpo voluptuoso (seja lá o que isso for, mas me pareceu uma palavra apetitosa), a jovem Helena era casada com um dos camaradas que mandava nas paradas gregas. Como seu marido era um velho carcumido e o fogo juvenil da beldade não conseguia manter suas pernas fechadas, acabou se assanhando para o príncipe da cidade rival, Tróia, que em vez de comer quieto, mostrou que era panacão, resolveu sair contando pros parcerias e danou com a coisa toda, já que o chifrudo da Grécia vivia tentando arrumar uma desculpa pra acabar com o pessoal másculo de Tróia. Mal comparando, Helena era o petróleo da época antiga (mas que fique claro que não tinha coloração negro-azulada, não tinha textura viscosa, não podia ser utilizada como combustível e, com certeza, não devia ter gosto a óleo).
Como bom corno manso, o pica-grossa da Grécia, depois de detonar com Tróia, aceitou a Helena de volta, e é claro que se fudeu, porque mulher que prova da fruta vicia, e ela meteu mais umas guampas nele, depois isolou o cara num labirinto na ilha de Creta e assim, por acaso, se criou a lenda do Minotauro (o homem-touro, por razões óbvias, seu imbecil! Se você não entendeu isso, tenho pena de você e torço que sua linhagem não continue, pelo bem da piscina genética da humanidade).
Moral da história: via de regra, mulher bonita não costuma prestar. As que prestam devem ser feias na alma, mas vieram gostosas por fora pela graça do bom e velho Satanás, porque tenho certeza que Deus, do alto de sua sabedoria e espirito de porco, iria mandar uns ogros velhos só pra curtir com a nossa cara e dizer, no fim das contas, que tudo não passa de uma provação de fé.

# Baumgarten nunca foi a Grécia, nunca pegou a Helena, mas resolveu opinar sobre o assunto de maneira leviana e sem sentido porque acabou de assistir o Brasil fazendo um gol na Argentina e isso, por si só, justifica qualquer merda.

3 Comments:

Blogger Zohguy_Saiyajin said...

Melancia muito grande e mulher muito gostosa, ninguém come sozinho. heheheheheh!!

10:04 PM  
Blogger Baumgarten, ídolo de milhões said...

Assino embaixo, concordo sem restrições!

12:56 PM  
Blogger Ollie said...

E como toda regra tem exceção... here I am. Bonita, presto, e costumo dar pra um homem só.

11:23 AM  

Postar um comentário

<< Home