O Fantástico Mundo de Baumgarten

Uma incrível perda de tempo narrando as experiências (uii!) e pensamentos de alguém que vê o mundo em outras cores. P.S.: "outras cores" é uma metáfora, não sou de maneira alguma estragado dos olhos. Se você pensou isso, a culpa é do português, essa maldita lingua que permite dupla conotação. Se mesmo assim você não entendeu, é uma pessoa burra demais pra merecer minha atenção e eu provavelmente só lhe trato bem por interesse ou pena. Pare de chorar e viva com isso!

Minha foto
Nome:
Local: Rio Grande, RS, Brazil

Todas as religiões convergem em um ponto: é impossível descrever Deus de maneira coerente. Partindo deste princípio universal, me resguardo o direito de não falar muito sobre mim. Resumidamente: sou autoritário, temperamental, tenho rompantes de anti-socialidade, gosto de ficar sozinho e busco desesperadamente na vida a eternidade. Buenas, é isso, seu fuxiqueiro curioso dos infernos!

14.8.06

O Fim do Direito segundo Baumgarten (ou "Como transar com seu Código Comentado - Guia Prático")

Não adianta, não me sinto sexualmente atraído pelo meu Código Civil. Claro que no fundo, no fundo agradeço que isso não aconteça, não sou nenhum maldito pansexualista perturbado, mas de certa forma gostaria de entender, nem que fosse por um mísero minuto, porque tantas pessoas são tão orgasticamente obsecadas pelos regramentos, pelas formatações, pelos pormenores, tudo isto em detrimento do nobre fundamento criador do Direito, qual seja a Justiça para todos.
Não que seja alguma novidade milagrosa, basicamente todo ser intelectualmente superior ao molusco (poucos) que alguma vez tenha se interessado em pensar sobre o direito atual chegou a mesma conclusão: o acesso à justiça foi tolhido pelo fanatismo xiita ao processo, pelo amor incondicional e violento ao formato, essas coisas que só Jesus explica (e provavelmente eu também).
Como pensar numa sociedade para todos e com integração social se um infeliz de um aposentado, na beira de seus caralhocentos anos, já abraçado com a morte, acaba morrendo no curso de sua ação para rever sua minguada aposentadoria. Como imaginar um mundo feliz e colorido se os bancos olham na cara do povo e dizem sem doçura na voz, sem pagar um drinque e sem enviar flores que irão violar-nos pelo orifício retal (legenda: "vão nos fuder o cú") e que nada temos a fazer quanto a isso? Nada a fazer, não no sistema atual, não com as mentes atuais, não com a complacência de nossos velhinhos... Principalmente, não com essa formação de gerações de técnicos jurídicos, que não preocupam-se em pensar o direito, mas tão somente em operacionalizá-lo.
Basicamente, estamos todos perdidos, uma vez que a solução não existe a curto prazo e tampouco na passividade ignóbil em que sobrevivemos (talvez alguns curtam essa coisa dos bancos, selvageria sempre teve certo apelo).
A situação é tão desesperadora que meu sensor de oportunidade bipa de maneira doida, clamando por um ato messiânico neste momento de penúria. Como nunca fui bom em resistir aos ventos do destino, dane-se a lógica... Quebre-se tudo, queime-se a bandeira, derrube-se o sistema e, no dia 2 de outubro, grite com fervor: uh terror, é Baumgarten ditador!

Repitam comigo, bando de zumbis teleguiados: "Prum governo com bravura, Baumgarten na ditadura".

# Baumgarten tem em sua plataforma de governo duas coisas muito interessantes: a criação de um curso técnico de direito, pra essa gente boa e limitada que curte decorar leis; e a ordem de que se façam roupinhas íntimas de renda para os códigos que eu tenho em casa. Vai que eles são excitantes mas estão mal aparelhados né? Um vinhozinho, uma lingeriezinha e de repente...

9 Comments:

Blogger Marcelo said...

Prum governo com bravura, Baumgarten na ditadura.

12:09 AM  
Blogger Marcelo said...

Este comentário foi removido por um administrador do blog.

5:24 PM  
Blogger Marcelo said...

Fui eu que deletei o último, para dar a impressão de que tem mais gente postando aqui. :D Precisas de novos amigos... ¬¬

5:37 PM  
Anonymous Camila said...

Marcelo, foi boa a tua intenção... mas quando a gente faz essas coisas a gente não conta!!!

tsc tsc

10:18 PM  
Blogger Marcelo said...

Este comentário foi removido por um administrador do blog.

11:15 PM  
Blogger Marcelo said...

tá!

Dessa última vez, não fui eu!





...aprendi? :D

11:16 PM  
Blogger Zohguy_Saiyajin said...

Só tenho uma coisa a dizer sobre o direito brasileiro: "NÃO FUNCIONA."
Até o código de hamurabi aplicado ao pé da letra seria mais eficiente e funcional que o sistema judiciário vigente neste país.

10:07 PM  
Anonymous Tia Elza said...

Contesto a teoria do INEXISTENTE. Onde fica o POSINICIOANTEMEIO e o POSMEIOANTEFIM?

Vamos demonstrar matematicamente como o fazia o grande matemático Oswaldo Sangiorg na demonstração de seus teoremas:

HIPÓTESE: Uma régua com 60 cm mede 60cm.

DEMONSTRAÇÃO: Quebra na marca de 2 e 58cm. Enseguida parte nos 30cm. Ficaste com um POSINICIOANTEMEIO de 2 a 30cm e um POSMEIOANTEFIM de 30 a 58cm.

CONCLUSÃO: Agora existem duas reguinhas. Derrubei a teoria do INEXISTENTE e tu ficaste com dois tocos imprestáveis!

5:58 PM  
Blogger Ollie said...

Cumpre perguntar se vc seguiu o conselho do Téo e entrou na "ditadura". Se sim... de quem?

11:17 AM  

Postar um comentário

<< Home